14.6.17

«Quem tem alma não tem calma»

A última tatuagem, feita em Novembro.
«Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem achei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não tem calma.»
Fernando Pessoa

Sei que não tenho andado por aqui, mas muito tem acontecido na minha vida. Como vos disse há uns tempos atrás, trabalho até ao fim deste ano letivo (que está felizmente a terminar) em cinco centros de estudo, o que me confere uma grande carga horária. Maio e Junho são sempre meses complicados, porque faço preparação de exames, mas o mês passado foi particularmente difícil para mim. Muito stress acumulado fez com que fosse parar às urgências duas vezes e que as crises de asma aumentassem, bem como as de pânico.

Tudo isto acontece porque, há uns meses, e após um diagnóstico oficial do qual eu suspeitava há uns dois anos, me foi diagnosticada uma Perturbação Obsessiva Compulsiva. Para quem não sabe, esta é uma perturbação de ansiedade que se caracteriza por, entre outros sintomas, pensamentos, impulsos ou imagens recorrentes e persistentes que, em algum momento durante a perturbação, são experimentados como intrusivos e inadequados e causam acentuada ansiedade ou sofrimento. No meu caso, eu tenho um problema com organização e pensamentos automáticos (aqueles pensamentos, sempre negativos, que insistem em estar presentes a toda a hora, mesmo durante a noite), o que me fazia estar constantemente exausta e em pânico comigo mesma e com os outros. Todas as noites eram repletas de pesadelos e todos os dias acordava como se me roubassem a segurança. Neste momento, estou medicada e a seguir um tratamento que está a dar frutos. 

A minha vida profissional tem sido complicada. Como mencionei, estou ainda a fazer preparação de exames até ao final deste mês, o que me deixa sem hora de almoço durante a semana. Ser professor é um trabalho gratificante, mas muito cansativo. Hoje em dia, os professores que trabalham em Centros de Estudos ainda são muitas vezes vistos como amas por parte dos pais, como peões por parte dos empregadores e não sendo 'professores a sério' por parte dos colegas que trabalham em escolas. Tenho pensado, todos os dias, em desistir da profissão, sabem...?

Quanto à minha vida amorosa, não me vou alongar muito. Se me acompanham pelo instagram sabem que, desde há mais de meio ano para cá que tenho uma pessoa especial ao meu lado e, simultaneamente, a 300km. Um namorado cuidadoso, carinhoso e paciente, que tem um lado totó e uma inteligência tal que me apaixona cada vez mais. Não, não é fácil manter uma relação à distância, há dias menos bons em que as palavras só querem sair cara a cara. É complicado não nos podemos ver sempre que queremos, mas aproveitamos sempre o máximo de tempo que conseguimos um com o outro e temos todo um esquema próprio para matar saudades, que são muitas. Desde o ligar 'nem que sejam só 5 minutos', a passar um fim de tarde ao telefone até à hora de jantar só para perguntar 'E então, como correu o teu dia?'...E pensar que tudo começou por causa deste blogue...

Estar numa relação à distância implica fazer viagens e custos adicionais que não teríamos se ambos morássemos no mesmo distrito. No entanto, esta relação tem-me ensinado que preciso de tempo para mim. Preciso de parar, de sair, de viajar. Também me tem ensinado que preciso de gerir o meu dinheiro, os meus rendimentos, e fazer um orçamento mensal para o poder fazer. Felizmente, tenho-o feito, saindo da minha zona de conforto com a pessoa certa. No fim deste mês vamos a Aveiro, por exemplo, e já estou a contar os dias!

Já dizia o Fernando Pessoa que 'Quem tem alma não tem calma.', uma frase com a qual sempre me identifiquei, tanto que acabou tatuada no meu braço. Quando a mostrei ao meu médico, disse-me ele 'Tem tudo a ver consigo, realmente...!'. E tem, porque eu sinto em demasia tudo o que é bom e tudo o que é mau até me transbordar o peito e acabo por perder o equilíbrio que tenho tentado ganhar aos poucos. 

A partir de agora, o caminho é em frente.
Image and video hosting by TinyPic
Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Eu desejo-te muita força! Ter ansiedade não é fácil mas se controlada tudo corre bem! Quanto à profissão na minha opinião não deverias desistir se é algo que gostas mesmo que te canse imenso. Se calhar deverias reduzir os centros de estudo. É uma sugestão.
    Quanto ao namoro é bom saber que estás feliz e sei bem o que é namorar à distância. O meu relacionamento foi assim durante dois anos entre idas da Madeira até aqui Lisboa e hoje vivemos juntos. Cada coisa no seu tempo :)
    Força! E adorei a tatuagem

    ResponderEliminar

Obrigada pelo comentário. ♥
(os comentários são respondidos aqui no Blog)